Escolha uma Sede

Sede 1

Chamar no Whatsapp

Sede 2

Chamar no Whatsapp

Sede 3

Chamar no Whatsapp
Em que posso ajudar?

A importância dos jogos e brincadeiras no processo de aprendizagem!

Os jogos e brincadeiras são muito importantes, constituem-se como um momento de aprendizagem, na escola como fora do contexto escolar,  em casa, na rua ou em qualquer lugar. Na escola, torna-se um valioso instrumento para que os educadores conheçam melhor seus alunos e despertem neles o interesse em estudar determinados conteúdos de maneira agradável. Brincando a criança não apenas se diverte, mas interpreta o mundo em que vive, recria, e adquire conhecimento por meio de atos concretos que somente o lúdico pode proporcionar.

Enquanto a criança brinca, está usando a fantasia, criatividade, explora seus limites, além da inserção social, aquisição de conhecimentos, desenvolvendo habilidades e afetividades. A brincadeira possui três características: a imaginação, a alienação, e a regra (BERTOLD; RUSHEL 2000, P.10).

Muitos professores desconhecem a importância do lúcido no processo de alfabetização e muitas vezes, insistem em atividades baseadas na repetição e memorização, esses professores mal preparados não atribuem o valor merecido aos jogos e brincadeiras no contexto escolar, acham que é perda de tempo, algo improdutivo. As atividades conteudistas são consideradas mais produtivas do que as lúdicas. É aí que muitos se enganam.

 

 

 

 

 

 

 

 

As brincadeiras são atividades socioculturais que favorecem a construção de hábitos e valores de um determinado grupo social.  Podemos afirmar que independente de onde você mora, o ato de brincar deve ser reconhecido como importante instrumento pedagógico para assimilação da aprendizagem.  Os jogos e as brincadeiras apresentam como objetivo a função lúdica e a função educativa que devem se convergir para uma única função, a aprendizagem.

Abaixo relacionamos algumas das habilidades que são desenvolvidas por meio dos jogos e brincadeiras e suas contribuições, principalmente, para as crianças em fase de alfabetização:

*Libera energia.

*É fonte de prazer.

*Contribui para a construção e estruturação da personalidade infantil.

*Libera a fantasia e o faz-de-conta.

*Permite a relação das crianças com outras crianças e com o meio.

*Aprende a lidar com o perder e ganhar.

*Aceitação de regras.

* Desperta a curiosidade e a criatividade.

*Desenvolve a coordenação motora.

*estimula a memorização.

*Trabalha a organização espacial.

*Raciocínio lógico.

*Expressão lingüística

Se fossemos continuar listando, com certeza, conseguiríamos encher várias páginas. Mas será que sempre a criança tem prazer com brinquedos? Será que as brincadeiras também não lhe causam frustrações ou desejos de não querer mais brincar com determinados brinquedos?

É comum, em situações de sala de aula, alunos  dizerem que não gostaram de algum jogo porque o resultado não foi ao seu favor, naquele momento um mesmo jogo que outrora tinha lhe dado prazer, neste deixou de ter.

Os jogos podem ser utilizados para desenvolver habilidades de leitura e escrita. As crianças que desenvolvem seu processo de aprendizagem de forma lúdica têm grandes chances de ter mais êxito na educação formal. Os medos e angústias que as crianças têm, principalmente, em fase de alfabetização, tendem a não existir se a aprendizagem se consolidar de maneira prazerosa, principalmente na escola. Ao realizar atividades lúdicas em grupo  alguns aspectos são desenvolvidos na criança, entre eles o afetivo, o físico-motor, a cooperação e a autonomia.  Tanto nos adultos quanto nas crianças, todo e qualquer processo de aprendizagem depende em grande parte da motivação.

               

       Diante de tudo que lemos aqui podemos resumir e concluir que os jogos e brincadeiras são, na sua essência, uma maneira de contribuir para a formação de atitudes, cooperação, socialização, responsabilidades, direitos e deveres. Ao brincar, a criança libera energia e deixa perpassar emoções e atitudes que, muitas vezes, não conseguimos perceber, somente dentro de uma sala de aula.

O ensino lúdico pode favorecer a aprendizagem das crianças que apresentam dificuldades. É uma forma de aprender de maneira concreta. Mas, para que consiga fazer isso, é necessário que conheça como a ludicidade na escola é importante.

Diante de tudo que vimos não poderíamos deixar de falar sobre o papel importante que o professor tem como um estimulador e observador.

Professor bom não é aquele que dá uma aula perfeita, explicando a matéria. Professor bom é aquele que transforma a matéria em brinquedo e seduz o aluno a brincar.

     

           É BRINCANDO QUE SE APRENDE!

 



Deixe uma resposta